sábado, 4 de abril de 2009

SE LIGA!!! - CM

Se liga, Brasil!!!
O presidente boliviano Evo Morales está fazendo GREVE DE FOME a fim de pressionar o Congresso para aprovação de uma nova lei eleitoral.
Imaginem se o "nosso guia" resolve copiá-lo com o mesmo objetivo?

1- BARCAS - CONFUSÃO POR CAUSA DO ATRASO;
2- APOTEOSE - KISS;
3- OBAMA - IRAQUE;
4- BANCO DO BRASIL - TROCA DE PRESIDENTE;
5- DIVÃ - LILIAM CABRAL;
5- ADRIANO - PARA POR TEMPO INDETERMINADO A CARREIRA;
6- COMPLEXO DO ALEMÃO - SHOW DE ZEZÉ DE CAMARGO E LUCIANO;
7- MANGARATIBA - FIMAGAM DE SILVESTRE STALLONE;
8- DENÚNCIA - CEMITÉRIO DE INHAUMA - VENDA DE OSSOS;
9- EVO MORALES - BOLÍVIA - GREVE DE FOME;
10- MALVINO SALVADOR - ASSALTADO;

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
Dos fatos ocorridos durante semana passada, um foi SURREAL.
Dê sua opinião:
* O CASO DAS "MÃES TROCADAS" em São Gonçalo.
Das reflexões analisadas, as melhores são:

Adriana E Juliana / 2001
É um caso que retrata total desrespeito e desorganização do hospital. Mostra uma situação de negligência hospitalar. Como confundem duas senhoras distintas? Por mais que elas fossem parecidas, há muitos fatos, muitas provas que mostravam que as só com muita displicência as senhoras seriam confundidas.
E também, como uma filha não reconhece a sua própria mãe? Concordo que o desespero de acreditar que a sua mãe, de fato, não tinha morrido, pode ter levado a suposta filha a tal confusão. Porém, do mesmo jeito, que nós sabemos que uma mãe reconheceria seu filho, acreditamos que uma filha reconheceria sua mãe.
Este fato mostra que mesmo tendo uma relação constante e diária, percebemos que muitos pais e filhos não se conhecem, nos levam a ver que não existe mais, nos tempos de hoje a mesma relação entre pais e filhos.

Elias & Camila, 2001.
Um fato lamentável, é difícil acredtar que ainda existam pessoas ignorantes assim, no mundo em que vivemos. Esse acontecimento demonstra o descaso com os enfermos, nos dias de hoje, e o mais triste da história é a filha não reconhecer a própria mãe!

Victor Holanda 2001
A culpa é principalmente do hospital, que é responsável pelos seus pacientes. Isso é só mais uma demonstração dos hospitais do Brasil, que estão um caos constante. E um dos fatos mais impressionantes é como uma filha não pode reconhecer a própria mãe?
É por isso que o Brasil não vai pra frente.

Rhayanne Moura & Rodrigo Ribeiro, 2002.

Esse é mais um caso de irresponsabilidade e falta de cuidado com as pessoas do nosso país.
O que adianta ter um presidente super popular, se o país que ele administra vai de mal a pior?!?

João Pedro e Islaine Araujo 2003

Parabéns Brasil!!!
Mais uma vez mostrou como nossa situação está precária. Como diz a professora Renata "Se liga Brasil!", não é possível que em um país como esse, estes casos como o da troca de mães ainda possam acontecer. É um absurdo a falta de respeito que é tida com o povo, imagina suas mães trocadas, uma morta outra com outra filha, é incrível isso acontecer em um hospital. Esperamos que o Brasil, como um todo, acorde, veja ao seu redor e perceba que muita coisa ainda tem para mudar. Se isso não acontecer, a situação só tende a piorar cada vez mais.

Vinicius Gomes Programação 2003
Patrick Pacifico

Nós achamos isso algo completamente estranho. Para nós, existe algo a mais, ninguém pode confundir e insistir que é a pessoa, e não é a pessoa. Você sabe quem é seu familiar,você nunca o confundiria com outro, bom...não pelo menos nós...

Stella e Yohanna da 2004

Primeiramente, devemos destacar a falta de tato dos profissionais de saúde dos hospitais públicos do Rio de Janeiro. Nesse caso, mais absurdo ainda é como pode um filha não reconhecer o própria mãe? Isso sim é um caso a se pensar, pois se o hospital errou, a filha deveria ter reparado na diferença entre uma estranha e a pessoa que conviveu com ela durante toda a sua vida. Incompreensível.

Yasmin - 2004

Não há dúvidas quanto ao atendimento precário dos hospitais públicos brasileiros. Porém, além do péssimo atendimento, encontramos também falha no sistema, erro nos diagnósticos ,entre outros absurdos! O médico no Brasil constantemente está em greve, reivindicando maiores salários e melhores condições de trabalho. É claro que é necessário se investir (e muito) em saúde pública. E que eles precisam de material para operar em seus devidos campos de trabalho. Todavia, não se pode culpar a falta de equipamentos nesse caso. E sim a falta de COMPETÊNCIA por parte dos funcionários do hospital. Como o genro de uma das vítimas disse, ao dizer que aquela não era sua sogra, funcionários do hospital insistiram em provar ao contrário, dizendo que foi culpa do derrame. Não temos assistência, os profissionais não têm, muitas vezes, competência e ainda temos que ouvir que os errados somos nós!

58 comentários:

  1. nomes: Bianca Zanon e Thamyris Raisa. Turma: 2002

    Simplesmente nós achamos isso um absurdo, e quem deveria se responsabilizar pelos danos causados é o hospital, que foi o responsável pela confusão.

    ResponderExcluir
  2. Leonam Monteiro e Michelly batista
    Turma: 2002

    Para nós o fato acontecido é um grande erro, não só do hospital como também da família.Como uma filha não reconhece a própria mãe?!Por mas que falassem que ela era a sua mãe, se a conhece-se saberia que não era.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Eduardo - Pedro Souza - 2002

    Em nossa opinião foi um erro ridículo dos profissionais , o nome das duas eram diferentes ,e uma tristeza para a família que recebeu a notícia que mãe não estava viva e sim morta , e felicidade para outra em saber que sua mãe estava viva .

    ResponderExcluir
  4. Bruno Ribeiro – Jefferson Regis - 2002
    É inacreditável e absurdo o que aconteceu com essas mães em São Gonçalo, total imprudência do hospital. A mulher que morreu foi entregue para uma família que não era a dela e a que sobreviveu foi entregue a outra família. Isso demonstra que os médicos do Rio de Janeiro, não estão preparados e são irresponsáveis e incompetentes.

    ResponderExcluir
  5. Camilla e Samara7 de abril de 2009 03:31

    Nomes: Camilla e Samara Turma: 2002

    Em nossa opinião esse fato,que ocorreu no Hospital de São Gonçalo, foi um descaso com as famílias e um desrespeito com as vitimas.Já que houve uma desordem na administração do hospital, pois foram trocado as identidades das fazendo assim com que a família enterrasse o corpo da pessoa errada. E assim fazendo assim as famílias sofrerem.

    ResponderExcluir
  6. Que horrível! Você confundir a sua mãe com outra pessoa totalmente diferente, imgaino como ela amava a mãe dela, conseguindo confundir ela com alguém totalmente diferente. Ficou 2 semanas com a suposta mãe, e só foi saber que a mãe não era dela porque a moça recuperou a memória.

    Nome:Paulo Thiago Fidelis dos Santos
    Turma:2002

    ResponderExcluir
  7. Rhayanne Moura & Rodrigo Ribeiro - 20027 de abril de 2009 03:33

    Esse é mais um caso de irresponsabilidade e falta de cuidado com as pessoas do nosso país.
    O que adianta ter um presidente super popular,se o país que ele administra vai de mal a pior?!?
    Rhayanne Moura & Rodrigo Ribeiro, 2002.

    ResponderExcluir
  8. NOME: Jorge Passos Chaves Júnior Turma:2002


    Para mim o erro do hospital foi inexplicável, alem de trocarem crianças recém-nascidas os hospitais estão trocando as mães.

    ResponderExcluir
  9. Isso mostra como é a organização dos hospitais do Rio de Janeiro, esse caso é lamentavél.Ninguém mais pode confiar nos hospitais públicos,não saberemos se estão cuidando da pessoa certa.Esse caso é muito confuso como as famílias não perceberam a diferença entre as mães!

    Natane Silva
    Juliana Alves
    Turma:2002

    ResponderExcluir
  10. Isso foi erro do hospital, pois confundir as mães, mostra que não podemos confiar mais nos hospitais públicos. Sempre teremos algum tipo de receio ao frequentá-lo. Além disso, o Brasil continua sendo um país que não tem uma grande estrutura, e ainda tem muitos problemas políticos a serem resolvidos.

    Nome: Anderson Araújo Couto Nº: 2
    Paulo Felipe Nº:21

    TURMA: 2002

    ResponderExcluir
  11. Carol Carneiro e Rafaela:

    Tem coisas que são inacreditáveis que jamais pensariamos que acontecesse.
    Não da para comentar sobre um assunto desse,pois ele demostra a falta de organização da saúde brasileira e a confusão em que se encontram os nossos hospitais. É muito triste, mas é a nossa realidade.

    ResponderExcluir
  12. Juliana Fiaux & Carlos Henrique7 de abril de 2009 04:00

    Alunos: Juliana Fiaux & Carlos Henrique
    Turma: 2002

    Comentário sobre o caso das mães que foram trocadas:
    Esse fato é lamentável e prova o verdadeiro descaso em que anda a saúde pública em nossa sociedade.
    Demonstra a confusão, desordem e descaso nos nossos hospitais, e para com as pessoas que necessitam desse serviço.
    É um absurdo com a família brasileira, que paga seus impostos em dia, que se esforça e trabalha ardorosamente para pelo menos obter o básico, que seriam serviços de qualidade, porém não conseguem obter retorno hoje em dia, porque o governo passa uma ‘borracha’ e finge que está tudo ótimo, mesmo estando tudo muito mal. =/

    ResponderExcluir
  13. Valdir Morais dos Santos7 de abril de 2009 04:09

    NOME:Valdir Morais dos Santos TURMA:2002

    É inadimissível isso,trocar identidades e ainda por cima enganar a filha da vítima que faleceu que acabou acreditando que sua mãe(verdadeira)ainda estava viva eque a família da vítima viva caiu na "conversa" dos médicos que a parente deles estava morta ,inaceitável o acontecido.

    ResponderExcluir
  14. Diego de Oliveira t. 20027 de abril de 2009 04:11

    Esse acontecimento mostra a falta de responçabilidade dos hospitais publicos para com a população.
    Isso é um descaso do governo com a população local. Por isso eu pensso duas vezes antes de ficar doente. q=D

    ResponderExcluir
  15. Diego de Oliveira t. 2002 disse...
    Esse acontecimento mostra a falta de responsabilidade dos hospitais publicos para com a população.
    Isso é um descaso do governo com a população local. Por isso eu pensso duas vezes antes de ficar doente. q=D

    ResponderExcluir
  16. Rayssa Souza e Caroline Desiderio t: 20027 de abril de 2009 04:15

    Rayssa Souza e Caroline Desiderio
    Turma: 2002

    Ao nosso entendimento, foi um absurdo o erro do hospital em trocar as pacientes, e fazerem pouco caso das famílias, que notaram a diferença entre as duas senhoras de idade, que foram internadas com o mesmo diagnóstico: derrame.
    O fato de o sub-secretário após o transtorno das famílias ainda, querer apurar os fatos inesistentes, insinuando que as famílias estavam enganadas ou mentindo, sobre a troca, é um absurdo maior ainda, pois ele em momento algum teve que passar pelo sacrifício e tristeza dos familiares das pacientes.

    ResponderExcluir
  17. Roger Turma: 20027 de abril de 2009 04:27

    Isso demonstra o quanto é falho o sistema de saúde, não só carioca como brasileiro, em qualquer outro país no qual os cidadãos são levados a sério,os médicos seriam severamente punidos, mas como intervir de tal modo sendo que os médicos não possuem condições básicas para desempenhar um bom trabalho? De forma digna, direito de qualquer profissional. Enquanto isso quem sofre é o cidadão que vivencia este círculo vicioso sendo sempre prejudicado.Obs: O profissional erra por falta de condições,o estado raramente pune e mesmo assim não faz nada para mudar a situação, advinha quem sofre? Outra vez o cidadão.

    ResponderExcluir
  18. Wallace t:2004...
    Isso foi um erro muito grave cometido pelo hospital,da um atestado de óbito para a pessoa errada.Isso que ocorreu mostra como esta o sistema dos hospitais públicos no Rio de Janeiro em geralmostrando a falta de estrututa e profissionais.

    ResponderExcluir
  19. Stella e Yohanna da 2004!
    Primeiramente, devemos destacar a falta de tato dos profissionais de saúde dos hospitais públicos do Rio de Janeiro. Nesse caso, mais absurdo ainda é como pode um filha não reconhecer o própria mãe? Isso sim é um caso a se pensar, pois se o hospital errou, a filha deveria ter reparado na diferença entre uma estranha e a pessoa que conviveu com ela durante toda a sua vida. Incompreensível.

    Yohanna e Stella 2004

    ResponderExcluir
  20. Yasmin - 2004

    Não há dúvidas quanto ao atendimento precário dos hospitais públicos brasileiros, porém, além do péssimo atendimento, encontramos também falha no sistema, erro nos diagnósticos entro outros absurdos! O médico no Brasil constantemente está em greve, reivindicando maiores salários e melhores condições de trabalho. É claro que é necessário se investir (e muito) em saúde pública. E é claro que eles precisam de material para operar em seus devidos campos de trabalho. Todavia, não se pode culpar a falta de equipamentos nesse caso. E sim a falta de COMPETÊNCIA por parte dos funcionários do hospital. Como o genro de uma das vítimas disse, ao dizer que aquela não era sua sogra funcionários do hospital insistiram em provar ao contrário dizendo que foi culpa do derrame. Não temos assistência, os profissionais não têm, muitas vezes, competência e ainda temos que ouvir que os errados somos nós!

    ResponderExcluir
  21. João Marcos / Rodrigo Fernandes
    Turma:2004

    Foi um erro gravíssimo do Hospital em São Gonçalo.Eles(os médicos), tem que ter mais atenção. Poxa! Mães totalmente diferente, moram em bairros diferentes, a cor da pele também. Ou seja, praticamente tudo diferente. Não pode acontecer isso no nosso país. Por isso, que sempre dizemos que o Brasil não vai para frente.

    Abraço.De seus fãs Rodrigo Fernandes e João Marcos.

    ResponderExcluir
  22. Pedro T:2004

    Foi um erro grosseiro do hospital e um grande erro da família que não percebeu que a idnetidade foi trocada.O Estado deve punir a equipe médica que cometeu o erro para que isso não torne a ser um acontecimento comum.

    ResponderExcluir
  23. Fernanda e Thayane turma:2004

    O hospital de são gonçalo cometeu um terrível engano envolvendo duas pacientes. As mulheres tinham nomes muito parecidos,sendo que uma faleceu e outra perdeu a memória. O hospital comunicou a morte de uma das mulheres a família errada. Os parentes não reconheceram a mulher, mas os médicos incistiam dizendo que as mudanças físicas eram consequências da doença. De tanto incistirem a a família concordou em enterrar a mulher,mas depois de algum tempo foi descoberto que quem morreu na verdade foi uma outra senhora, e a senhora daquela família na verdade só havia sofrido uma aminésia que já havia passado.

    ResponderExcluir
  24. [Ráisa na área- turma 2004]
    Foi um erro muito ridículo.Confundir duas pessoas e elas serem trocadas,ainda mais na idade delas,é absurdo.Sem falar no sofrimento que causou na família que ficou pensando que a mãe tinha morrido.Péssimo isso.Isso também nos mostra a falta de competência dos hospitais públicos.Aff's...

    ResponderExcluir
  25. Aline e Raiane T:20047 de abril de 2009 05:06

    Na nossa opinião, isso é um absurdo, não foi só um erro do hospital, mas da familia da vitima também, que deveria ter se informado mais sobre o caso e ter reconhecido o corpo. Sabemos que isso não justifica a falha dos médicos, eles foram realmente displicentes e imprepotentes em sua função. Se continuarmos assim, aonde iremos parar?

    ResponderExcluir
  26. Mostra a falta de organização e falta de treinamento de toda a equipe do hospital que se encontra em São Gonçalo. Se os atendentes do Pronto de socorro tivessem um treinamento adequado, eles iriam verificar mais de uma vez os dados dos pacientes , evitando qualquer tipo de engano.

    Nome: Lorena Lima Turma:2004

    ResponderExcluir
  27. Luis Felipe e Ademar Turma:2004

    Duas mulheres que fouram internadas em um hospital por causa de um derame celebral Mª.Rita e Vilma Maria,só que o hospital alegou oito dias depois o hospital alegou que MªRita avia morrido quando os familiares chegaram para reconhecer o corpo afirmaram que não era ela, agora faram o esame de DNA.

    ResponderExcluir
  28. Nome:Rafael / Turma:2004

    É uma notícia muito estranha, pois além do erro do hospital com os nomes, as filhas das mulheres não reconhecerem suas próprias mães, como uma filha leva uma estranha para casa acreditando que era sua mãe? E o hospital também não pode cometer um erro deste, pois muda vidas.
    Se esse médicos levassem o trabalho mais a sério, isto não ocorreria.

    ResponderExcluir
  29. Letícia turma:2004
    Nesse caso trocar duas mulheres totalmente diferente mostra como o sistema de saúde do nosso estado esta um caos e que os nossos médicos não estam preperados.O mais estranho é que nem a filha da mulher viu que aquela não era sua verdadeira mãe,isso mostra que o erro não foi só do hospital.

    ResponderExcluir
  30. Gabriela-turma:10047 de abril de 2009 05:37

    Gabriela-Turma:2004
    O que ocorreu foi um erro drástico de organização do Hospital.
    É um absurdo que o hospital tenha ignorado quando as famílias foram falar sobre a diferença de aparência delas, querendo confirmar se eram mesmo suas mães...
    É muito triste saber que uma das mães morreu, sem estar ao lado de sua verdadeira família. Falhas como essa não podem continuar!

    ResponderExcluir
  31. é uma absurdo como a filha não conhece sua mãe foi um erro do hospital e da familia


    lucas siciliano da costa Turma 2003

    ResponderExcluir
  32. Por Vinicius Gomes Programação 2003
    Patrick Pacifico

    Nós achamos isso algo completamente estranho,para nós existe algo a mais,ninguem pode confundir e insistir que é a pessoa,e não é a pessoa,você sabe quem é seu familiar,você nunca iria confudir ele com outro,bom...não pelo menos nós...

    ResponderExcluir
  33. Leonardo e Higor - 2003

    Estamos surpresos com tamanha "tragédia", nunca passou pelas noassas cabeças que poderia acontecer algo tão absurdo assim. Realmente isso mostra como está a situação dos hospitais públicos, principalmente do Rio de Janeiro.
    O fato foi muito triste, e o que nos surpreendeu mais ainda foi a questão do hospital ter convencido os familiares a aceitar que a pessoa era sua familiar.

    ResponderExcluir
  34. Carlos Eduardo e Leandro Gouveia - Turma : 2003



    DESORGANIZAÇÃO! Essa é a palavra usada para a maioria dos casos aqui no Brasil, centenas de casos acontecem, e a palavra que identifica esse problema é a desorganização que o Brasil se encontra. Como assim, do nada chega um médico e diz que acabou a vida da sua mãe, você diz que não, mas eles lhe convencem que sim...Depois vem a resposta que sua mãe está viva, mas com outra família. Isso não pode continuar mesmo, isso não pode mais acontecer. Imagina como está se sentindo a moça que perdeu a mãe, mas estava com uma outra mãe.
    Uma solução simples para resolver esse problema é investir na saúde pública, mas não como o eduardo paes fez, construiu milhares de postos de saúdes que não servem para nada, ao invés de investir nos que existem com equipamentos, profissionais e estrutura.

    ResponderExcluir
  35. João Pedro e Islaine Araujo 2003
    Parabéns Brasil!!!
    Mais uma vez mostrou como nossa situação está precária.Como dizia a professora Renata "Se liga Brasil!", não é possível que em um país como esse, estes casos como o da troca de mães ainda possam acontecer. É um absurdo a falta de respeito que é tida com o povo, imagina suas mães trocadas, uma morta outra com outra filha, é incrivel isso acontecer em um hospital, a falta de estrutura, de responsáveis, de coordenadores, faz e se não mudar, vai fazer muitas coisas como essa se repetirem!
    Esperamos que o Brasil, em um todo, acorde, veja ao seu redor e perceba que muita coisa ainda tem para mudar. Se isso não acontecer, a situação só tende a piorar cada vez mais.

    ResponderExcluir
  36. Raphael Mendes e Thiago Lima 2003


    O acontecimento ocorrido foi um erro do hospital que trocou duas mulheres, elas foram para o hospital uma nao resistiu e morreu a outra teve alta mas foram trocadas de família, a família que recebeu a mulher viva logo estranhou ,pois a cor dela era diferente e o rosto estava enchado.
    Ao voltar ao hospital para contestar os médicos falaram que era a mãe dela mesmo num erro exorbitante.
    Erros como esses é muito difícil de ser visto porque é "coisa de louco".

    ResponderExcluir
  37. Eu prefiro não comentar pessoalmente. Mas, já comentando, eu acho errado a atitude precária da justiça e do hospital(maternidade), porque eu acho que eles podiam se empenhar mas para que esse erro "maluco" não acontece -se de novo.

    Luiz e Patrick.F

    ResponderExcluir
  38. Victor Mozer - Thaís Barros
    Turma: 2003

    O que ocorreu foi certamente um absurdo,porém nada amenizará a dor de uma filha em saber que a mãe está enterrada a três meses. Sabemos o quão é triste e precária a situação de diversos hospitais do país, porém, o caso merece atenção considerável para que não seja transformado em mais uma rotina sem tanta importância, um caso banal que não mereça atenção.

    ResponderExcluir
  39. A crise da saúde no Brasil sofreu, mas um agravante em dezembro no pronto socorro de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, duas senhoras entram em um pronto socorro com derrame, uma delas morre outra tem alta no mês de Abril, mas a paciente que morreu foi entregue a família errada a da que estava viva e a entrou em óbito o inverso.
    O mas revoltante do que o erro do Pronto socorro foi a troca das famílias que conviveram com seus entes durante dezenas de anos e aceitaram esse absurdo


    Ruan Carlos Turma : 2003

    ResponderExcluir
  40. Iris Ferreira e Renato Macabu20037 de abril de 2009 08:09

    Iris Ferreira e Renato Macabu 2003

    Esse caso demostra o grau de organização da saúde pública brasileira e o total transtorno em que se encontram os nossos hospitais. O que é muito triste, mas infelismente é a nossa realidade.

    ResponderExcluir
  41. Alan e Alex - Turma 2003:
    Este caso do hospital de São Gonsalo é uma barbaridade, pois só uma simples falta de organização gerou diversos transtornos às famílias envolvidas.
    Primeiramente, o caso da filha que estava grávida e prestes a a dar a luz e pensava que tinha perdido a mãe, pois podia ter complicações no parto por causa da falsa morte:
    “Eu estava grávida, passei mal e dei a luz ao meu filho naquele dia. Nem pude ir ao enterro de quem pensava ser minha mãe”, disse Jociane Alves Cardoso, 17 anos, feliz ao descobrir que Maria Rita estava viva. (reportagem do jornal O DIA)
    Depois pelo fato de a família que já estava aliviada, na verdade, ficou horrorizada, pois não teve nem a oportunidade de enterrar a ente querida.
    É triste também saber que a própria fámilia não soube reconhecer a própria mãe e os médicos que não reconheceram as pacientes terem tanta certeza de ter reconher a paciente que nem era parente dele.

    ResponderExcluir
  42. Leandro Pedro T: 2003
    Bruna T: 2003

    O hospital é o principal culpado pelo ocorrido.A paciente trocada que está viva, nao teve alta para sair do hospital, e no entanto foi para casa,ou melhor,para a casa da outra família, O que foi um erro muito grave cometido pelo hospital.

    O absurdo foi o hospital ter convencido as familias que estava com duvida,a aceitar as pacientes.Neste caso o correto seria um exame ou averiguaçao maior do caso, o que nao ocorreu.

    ResponderExcluir
  43. Eduardo - Turma 2003
    É um problema grave que já esta acontecendo há muito tempo no Brasil a troca de pacientes, isto ocorre, pois o sistema não esta preparado para tantos pacientes isto é muito grave, basta ver como as famílias ficaram, isto tem que acabar.

    ResponderExcluir
  44. George Ithallo e Vitor Paulino

    O que aconteceu fou um grave erro hospitalar e muito estranho pelo fato das familias terem 'aceitado' a resposta do hospital ao reclamarem do desconhecimento das maes,mas que felizmente foi esclarecido esse angano.

    ResponderExcluir
  45. Tatiane e Talita7 de abril de 2009 14:48

    Tatiane e Talita -- Turma: 2004.

    Todo esse episódio mostra que mais uma vez, por mais que o “Brasil” tente esconder os problemas no sistema de saúde e em outros tantos sistemas, está cada vez mais nítido para todos nós a precariedade e a falta de seriedade com a qual estamos vivendo.
    E o fato ocorrido neste hospital, e considerado por nós como um erro estritamente grave.
    Como profissionais formados foram tão incompetentes a esse ponto!
    E por que não deram ouvidos á filha da senhora que havia falecida!
    Mas um erro também grave, foi o fato da filha da senhora falecida não ter feito nada depois.
    Por que não insistiu no assunto!
    Afinal, tinha ela (a filha) mesmo certeza de que aquela era sua mãe!
    Isto foi um absurdo, por ambas as partes!

    ResponderExcluir
  46. Daiane T:2004

    A falta de competência e de respeito do hospital são absurdas. Falta de competência porque eles nao tomaram cuidado e verificaram tudo certo, e falta de respeito porque tiveram a cara de pau de falar pra família que era a mulher certa. Casos como esse mostra cada vez a incompetência dos hospitais públicos e o tipo de pessoas que estão formando nosso país, e isso com certeza é motivo de vergonha.

    ResponderExcluir
  47. Caroline e Luciana Turma: 2001

    Um completo absurdo!!!
    Um imenso descaso dos médicos que tentaram justificar seu erro dizendo que o corpo mudava de cor de um dia para o outro. Também por dizer que a outra filha estava louca ,pois aquela era sua mãe.

    ResponderExcluir
  48. Adriana E Juliana / 2001

    É um caso que retrata total desrespeito e desorganização do hospital. Mostra uma situação de negligência hospitalar. Como confundem duas senhoras distintas? Por mais que elas fossem parecidas, há muitos fatos, muitas provas que mosrtravam que as só com muita displicência as senhoras seriam confundidas.
    E também, como uma filha não reconhece a sua própria mãe? Concordo que o desespero de acreditar que a sua mãe, de fato, não tinha morrido, pode ter levado a suposta filha a tal confusão. Porém do mesmo jeito, que nós sabemos que uma mãe reconheceria seu filho, acreditamos que uma filha reconheceria sua mãe.
    Este fato mostra que mesmo tendo uma relação constante e diária, percebemos que muitos pais e filhos não se conhecem, nos levam a ver que não existe mais, nos tempos, de hoje a mesma relação entre pais e filhos

    ResponderExcluir
  49. Thiago Araújo, Hudson Gabriel - 2001

    Foi um absurdo o fato do hospital ter trocado as mães. Isso pode desencadear um processo contrar o hospital, à proporção que a mãe verdadeira deixou de receber os cuidados da filha.

    ResponderExcluir
  50. Bruno Corrêa e Wautier de Jesus - 20018 de abril de 2009 04:33

    Bruno Corrêa e Waltier - 2001

    Nós achamos um absurdo, uma falta de respeito com as duas famílias. A culpa toda foi do Hospital aonde elas estavam internadas e da funcionária(médicos) que permitiu que levassem ela pra casa e trocou o nome. Agora, o Hospital deveria responder pelos seus atos e pagar uma quantia para as famílias que foram enganadas. Mas na verdade, dinheiro não paga uma perda, ou seja, uma das famílias que foram enganadas, foi prejudicada com a perda da mãe.

    ResponderExcluir
  51. Elias & Camila, 2001.
    Um fato lamentável,é dificil acredtar, que ainda exista pessoas ignorantes assim, no mundo em que vivemos, esse acontecimento demonstra o descaso com os enfermos nos dias de hoje, e o mais triste da história é a filha não reconhecer a própria mãe!

    ResponderExcluir
  52. Nome: Raphael Botelho N°23 T:2001
    Bruno Bernardino Nº06

    Foi uma verdadeira falta de responsabilidade do hospital e também as filhas não identificaram suas próprias mães. O governo do Estado deve penalizar o Hospital que cometeu um erro gravíssimo. O Brasil está em processo de desenvolvimento, mas se continuarmos com essa falhas não iremos para "frente".

    ResponderExcluir
  53. Anna Caroline e Laiane Araujo, turma: 2001

    Isto é um absurdo!Li em uma notícia de um jornal, que a Maria Rita (a mãe que foi pra família errada) estava tomando os remédios que provavelmente seriam de Vilma ( a mãe que morreu), já que as fichas foram trocadas. Foi legal a Maria Rita ter voltado para sua família, mas foi triste para a filha de Rita que teve que aceitar que sua mãe, Vilma, morreu. As duas famílias têm que processar este Pronto-Socorro, pois isto não pode acontecer, principalmente porque a família de Vilma não pôde se despedir dela pela última vez.

    ResponderExcluir
  54. Mainara Mª Adão de Assis
    Vanessa dos Santos Rodrigues turma: 2001

    Cada vez mais os médicos e funcionários de hospital estão com uma falta de competência para cuidar das pessoas.O caso é mais grave nos hospitais públicos, onde a precariedade está cada vez maior.Esse caso foi um absurdo o hospital ter trocado as pacientes e ainda "enganar" as famílias causando uma dor maior para eles.

    ResponderExcluir
  55. Isso é um Caso chocante, no qual, demonstra o grau de organização da saúde brasileira, e a total confusão em que se encontram os nossos hospitais. É muito triste, mas a nossa realidade. Ainda mais que os funcionários do hospital, tentaram convencer os familiares, de que, eram realmente seus devidos parentes. Isso é um absurdo! Que profissionais são estes? E depois querem reivindicar melhorias salariais, fazem greve( em alguns casos com razão), porém, são por essas e outras, que o Sistema de Saúde Público do Brasil, se encontra desse jeito. Um Caos. Agora, é ter esperança de um Sistema melhor e digno ao Povo brasileiro.

    ResponderExcluir
  56. ISSO É UM OBSURDO COM UMA FILHA QUE RECONHECE SUA MÃE LEVA A MÃE ERRADA PARA CASA. E A OUTRA SEM SABER INTERRA A MÃE ERRADA.

    NOME:JOYCE TURMA:2001
    LUANA

    ResponderExcluir
  57. Victor Holanda 2001


    a culpa é principalmente do hospital, que é responsável pelos seus pacientes. Isso é só mais uma demosntração dos hospitais do Brasil, que está um caos constante. E um dos fatos mais impressionantes é como uma filha não pode reconhecer a prórpria mãe?

    É por isso que o Brasil não vai pra frente.

    ResponderExcluir
  58. Gabriel Alves

    T:2001

    É um absurdo e uma falta de organização do hospital ter trocado as duas mães!!
    Isso não se faz !!!

    ResponderExcluir